Título: Cartas de Amor aos Mortos
Título Original: Love Letters to the Dead
Autor: Ava Dellaira
Nº de Páginas: 344
Editora: Seguinte
Nota: 4/5









Don't expect me to cry, Don't expect me to lie, Don't expect me to die for thee
(Nirvana - Jesus Doesn't Want Me For A Sunbeam)


Quando vi esse livro e soube que a protagonista escreve cartas para pessoas como Kurt Cobain e Heath "Legend", automaticamente eu o quis. De fato existem muitas cartinhas para o Kurt. Mas para o Heath só tinha uma, tadinho.

Começa como uma atividade em sala de aula mas quando Laurel percebe, ela já tem um caderno inteiro repleto de cartas para pessoas que já morreram.

Laurel sentia uma grande admiração por sua irmã May e a idealizava como uma pessoa perfeita. Quando os pais se separaram, as duas permaneceram unidas, sempre podendo contar uma com a outra. Mas agora May está morta e a mãe mudou-se para a California, o que Laurel encara como abandono, já que ela e o pai tiveram que enfrentar a ausência da irmã, sozinhos, na grande casa vazia.

A figura maternal ficou por conta da tia Amy, uma mulher apegada a Deus e não muito liberal. com quem Laurel passa uma semana sim, uma não.

Coisas ruins aconteceram mas Laurel não consegue se abrir com as pessoas sobre os fantasmas de seu passado. Na metade do livro, isso chega a ser um pouco irritante porque você percebe que existe um certo mistério relacionado à morte de May, e Laurel é o tipo de protagonista que quando está prestes a falar o que você quer saber, passa mal e chora. Mas chooooora!! E isso também é irritante.

Claro que conforme o livro vai chegando ao fim e a medida que ela vai confiando um pouco mais nos novos amigos e em Sky -- o garoto por quem ela se apaixona --, todos os acontecimentos são esclarecidos.

Os personagens secundários são um atrativo a mais na história mas o livro segue em ritmo lento. 



Mesmo que você não goste de livros em formato de cartas, poderá gostar deste, porque as cartas são como um diário e a história de Laurel vem à tona de forma natural, por isso em alguns pontos chegamos a esquecer que trata-se de uma carta, exceto quando algum detalhe sobre a vida da pessoa a quem a carta está sendo direcionada é citado.

Aliás, esse é o mais legal do livro. Quando Laurel fala sobre cada famoso com quem ela "conversa", dando detalhes interessantes da vida pessoal destas pessoas, permitindo que o leitor passe a conhecer um pouco mais sobre artistas como: Judy Garland, Amy Winehouse e River Phoenix. Jim Morrison e Janis Joplin são também muito citados no livro, além do próprio Kurt Cobain.

Se você gostou de As Vantagens de ser Invisível, é muito provável que goste de Cartas de Amor aos Mortos. São dramas semelhantes, onde podemos ver um adolescente lutando contra sombras interiores e com alguns problemas emocionais causados por traumas infantis.




Artigos relacionados:




Quote da Semana

"Somos todos estranhos de um jeito diferente, e isso é normal. E mesmo que exista muita coisa que eu não possa dizer para eles, é bom me sentir parte de um grupo." (Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira)

4 comentários:

  1. Oi Luciana

    Sua resenha me deixou bastante empolgada, até o momento em que você compara o livro com As vantagens de ser invisível. Não gostei do livro, pra mim foi uma decepção e essa comparação me deixou um pouco desanimada para ler Carta de amor aos mortos. Não descarto a possibilidade, mas vou sem expectativas.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desanime, Caline. Eu também não gostei das Vantagens, mas apesar de existir, sim, semelhanças, achei Cartas de amor aos mortos um pouco melhor. Espero que você goste.
      Bjs

      Excluir
    2. eu realmente não achei nenhuma semelhança, eu não gostei nem um pouco de as vantagens de ser invisível!

      Excluir
  2. A Seleção eu fiquei em dúvida, mas "Cartas de Amor aos Mortos" entrou para minha lista. Primeiro pq vc começou a resenha com uma música perfeita do Nirvana, isso já me arrepiou aqui. Eu gosto de livros em formatos de cartas, claro que depende mto da história, e fiquei mto interessada neste.
    Vou lê-lo (talvez daqui uns dez anos, pq minha lista está infinita e eu leio como uma lesma, mto lentamente).
    Beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Não deixe de comentar...

Topo