Título: Reconstruindo Amelia
Título Original: Reconstructing Amelia
Autora: Kimberly McCreight
Nº de Páginas: 352
Editora: Arqueiro
Nota: 5/5








"sozinha, condenada, abandonada, como alguém à beira da morte, havia algo de luxuoso naquilo, um isolamento elevado; uma liberdade que os acompanhados não podem conhecer. " Virginia Woolf, Mrs Dalloway

Após a morte de sua única filha, Amelia, de apenas 15 anos, Kate Baron sente-se devastada.
Semanas depois, ainda sem acreditar que a filha fosse capaz de se jogar do telhado da escola, assim como a polícia concluiu, ela recebe duas mensagens anônimas dizendo que Amelia não pulou. As investigações são reabertas e numa busca torturante, Kate e o tenente Lewis Thompson, se empenham para obter respostas sobre a morte da jovem.

Como podem ver, existe um grande mistério sobre a morte da protagonista. 
No últimos dias de vida, Amelia contou com a companhia de Sylvia, sua melhor amiga desde a infância, e das Magpies, um clube secreto de garotas do colégio do qual ela só faria parte oficialmente, quando conseguisse cumprir três tarefas impostas pela líder Zadie. Além de manter mensagens de texto diárias com seu amigo Ben, que está prestes a ir até Nova York para que os dois possam finalmente se conhecer pessoalmente.

Amelia era uma menina sensível, compreensiva e muito inteligente. Ela gostava de frequentar as aulas, especialmente as de inglês, ministradas pela professora Liv. Era uma grande fã de literatura e sua escritora favorita era Virginia Woolf.

Sua única amiga verdadeira, Sylvia, passa a maior parte do tempo olhando para o próprio umbigo e com dilemas importantíssimos, como por exemplo: qual roupa devo vestir para ir à escola e conquistar aquele gatinho?; Motivos pelos quais ela não foi capaz de perceber que a melhor amiga se via num beco sem saída, bem ali diante de seu nariz. 
Mas Sylvia não era uma amiga totalmente alheia, nas poucas vezes em que realmente se importava com Amelia, não media esforços para ajudá-la.

Era por isso que Sylvia ainda era minha amiga. (...)  Passava 90% do tempo olhando para o próprio umbigo, mas nos 10% restantes era uma amiga incrível.

O livro intercala capítulos narrados por Amelia e capítulos narrados em terceira pessoa sob o ponto de vista de Kate. É perfeito porque você acompanha as investigações de Kate sobre a morte da filha ao mesmo tempo em que descobre, pela narração de Amelia, o que, de fato, aconteceu.

As protagonistas são muito cativantes.
Ainda que Amelia faça algumas bobagens, ela desperta a compaixão do leitor e ficamos pensando o quão injusto é o fato de a vida dela se acabar tão de repente quando ela poderia ter tido um futuro brilhante. Tudo por conta de uma escolha infeliz, sem caminho de volta.

Tive a sensação de sair do meu corpo e ficar de pé, ao meu lado, balançando a cabeça. Como tinha me tornado esta pessoa? A pessoa no centro de um furacão imbecil de fofocas?

Kate era uma mãe ausente, por conta de seu trabalho mas ainda assim, o amor que sentia pela filha é notável. O pouco tempo que tinha em casa, era dedicado à filha e Amelia sabia disso e compreendia a ausência da mãe. Seu drama é tão forte que chegamos a desejar que, de alguma forma, Amelia volte para ocupar o imenso vazio que deixou no coração da mãe, pois fica bem claro para o leitor que mesmo com a descoberta de tudo o que se passou nos últimos dias de vida da filha, nada será suficiente para aliviar suas dores emocionais.

É uma história muito intensa onde Amelia e Kate foram vítimas de suas próprias escolhas, ainda que de formas diferentes. Os personagens são bastante reais, exatamente do tipo que eu gosto em uma história. Algumas vezes eu pensei estar lendo um romance policial do Harlan Coben. A narrativa tem a mesma dose de mistérios e não deixa pontas soltas. 

O livro traz as mensagens de texto trocadas entre Amelia e amigos, os status publicados no Facebook da protagonista junto com comentários de amigos, além de, bem no estilo Gossip Girl, relatos feitos em um blog denominado GrAcIoSaMENTE, onde uma pessoa anônima publica fatos pessoais sobre pessoas de Grace Hall, colégio onde Amelia estudava. Essa amostra de contatos sociais contribui para que a vida e a personalidade da protagonista tornem-se ainda mais plausíveis.

O final não é como eu esperava mas é cabível e por isso, não tira o mérito de toda uma trama que envolve o leitor até a última frase. A história escrita por Kimberly McCreight é muito bem estruturada do início ao fim. As reviravoltas e os novos fatos apresentados a cada capítulo colaboram para que, de maneira alguma, a história se torne cansativa. Tudo é relevante e todos os personagens contribuem para o desfecho final.

Este é um daqueles livros que por mais que você tente, nunca poderá descrevê-lo como realmente é. Reconstruindo Amelia é uma leitura incrível e está super recomendada! 





Artigos relacionados:




Quote da Semana

"Somos todos estranhos de um jeito diferente, e isso é normal. E mesmo que exista muita coisa que eu não possa dizer para eles, é bom me sentir parte de um grupo." (Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira)

6 comentários:

  1. Oi, adorei a resenha!
    O livro parece ser ótimo mesmo, antes eu nem tinha muita ideia sobre o que ele falava, haha, mas parece incrível. É um livro único né?
    Abraço!

    http://lucyintheskywithbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Renata, é único. E a história também é única. haha
      Muito bom. Eu recomendo.
      Bjs

      Excluir
  2. Hey! Adorei a resenha e estou com muita vontade de ler o livro *--*

    Beijos!
    http://heartbreaker-girls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, Luiza. Você não vai se arrepender.
      Bjss

      Excluir
  3. Gosto demais de livros do gênero e sua resenha me deixou bastante curiosa.
    Beijos
    All My Life in Books - Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adoro esse gênero de livro, Natália. :))
      Bjss

      Excluir

Obrigada pela visita! Não deixe de comentar...

Topo