Título: Divergente
Título Original: Divergent
Autora: Veronica Roth
Nº de Páginas: 502
Editora: Rocco
Ano: 2012
Nota: 5/5











Na Chicago futurista de Veronica Roth, o mundo é dividido em cinco facções, cada qual destacando uma virtude diferente: Abnegação (altruísmo), Franqueza (honestidade), Amizade (paz), Audácia (coragem) e Erudição (inteligência).



Todos os anos, jovens de 16 anos são submetidos ao teste de aptidão que, de acordo com simulações psicológicas, mostrará qual é a facção mais indicada para cada um. Posteriormente, no dia oficial da escolha, o jovem poderá escolher a facção a que deseja pertencer e defender para o resto de sua vida, sabendo que isso significa: permanecer com sua família (em caso de escolha pela mesma facção em que vive) ou iniciar uma nova vida, deixando sua família e crenças para trás (em caso de escolha por outra facção)

A escolha de Beatrice Prior (Shailene Woodley), membro da Abnegação, surpreende a todos e a si mesma. E durante a dura competição de iniciação que se segue, ela precisará enfrentar seus medos para ultrapassar os obstáculos físicos e psicológicos de testes impostos  pela facção escolhida por ela. Para ajudá-la, a agora "Tris" conta com o instrutor de testes, Quatro (Theo-maravilhoso-James).

Iniciandos são jovens que, após o dia da escolha, aprenderão os princípios da facção escolhida e passarão por testes físicos e mentais que determinarão ou não sua entrada na facção escolhida. Ser reprovado significa ser um Sem-Facção e acabar nas ruas, sem casa ou comida, largados à própria sorte.





É inegável que Quatro é um dos melhores de sua facção tendo total capacidade de liderá-la. Sua determinação, força e sagacidade o levaram ao primeiro lugar em sua época de iniciando. No entanto, Quatro prefere manter-se longe dos cargos de grande visibilidade o que o torna, no mínimo, misterioso.

"Nós acreditamos nos atos simples de bravura, na coragem que leva uma pessoa a se levantar em defesa de outra." p. 244

Conforme o tempo passa, a competição fica cada vez mais acirrada e, em busca de um lugar dentre os aprovados na facção, as personalidades dos iniciandos vão se transformando. Agora Tris descobre que nem todos aqueles que pareciam ser seus amigos, de fato, o são. 

Mas Tris tem um segredo. Um segredo que não deve ser revelado nem mesmo para as pessoas em quem ela mais confia. Mas como esse segredo tomou proporções mundiais, eu vou contar pra vocês: Ela é Divergente e existem pessoas tentando destruí-la. Estas mesmas pessoas, mal intencionadas, estão tentando transformar sua perfeita sociedade em um terrível pesadelo, onde pessoas inocentes estão prestes a morrer e Tris percebe que ser Divergente pode ajudá-la a salvar a vida daqueles que ama. 









A história criada por Veronica Roth nos traz uma ideia diferente de tudo aquilo que imaginamos em se tratando de distopias. Gostei dos principios de cada facção, mas eu não gostaria de ter que escolher apenas uma delas para viver.

Assisti ao filme e posso dizer que, dentro do possível, ele é bem fiel ao livro. Sentir falta de uma ou outra cena, é inevitável mas, as cenas escolhidas pelos roteiristas foram muito bem reproduzidas e não deixam a desejar. A única coisa que, na minha opinião foi meio que modificada, foi a personalidade do personagem Peter (Miles Telller). Quem assiste ao filme antes de ler o livro, não imagina o quanto Peter pode ser odiável! Os roteiristas foram legais com ele e não deixaram transparecer toda a sua crueldade. Já Eric foi muito bem interpretado por Jai Courtney, que conseguiu passar exatamente a imagem do líder brutal e repugnante que eu criei em minha mente. Enfim, o filme, assim como o livro, está totalmente aprovado!




Artigos relacionados:




Quote da Semana

"Somos todos estranhos de um jeito diferente, e isso é normal. E mesmo que exista muita coisa que eu não possa dizer para eles, é bom me sentir parte de um grupo." (Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira)

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Não deixe de comentar...

Topo